A FAPEU
NOTÍCIAS
Publicado em 29/11/2018 à 02:11:53
Por: Camila Costa da Cunha
Combate à Dengue na UFSC
O Aedes aegypti só será eliminado com a ajuda de todos, colabore!

O aumento nas temperaturas e frequência de chuvas traz consigo o aumento da proliferação do mosquito Aedes aegypti, sendo de amplo conhecimento científico que o pico de proliferação do mosquito e casos de doenças associadas inicia-se em novembro, podendo durar até abril ou maio.

Mediante a isso, todos são responsáveis por combater o mosquito Aedes aegypti na UFSC através de medidas que passam pelo aumento nos cuidados nas limpezas e manutenções dos edifícios e seus entornos, jogando lixo nos locais adequados, a atenção em detectar e eliminar possíveis focos, mesmo que em áreas fora de seus respectivos centros, coibir e mitigar o uso inadequado de objetos como pneus, pratos de plantas, caixas d’água e tampas em áreas descobertas, bem como requerendo a limpeza de locais com resíduos jogados.

A eliminação e controle dos criadouros é a medida mais efetiva para o combate ao mosquito, sendo também medidas importantes a serem tomadas:

- Jogar os resíduos como copos, garrafas, pratos e outros em lixeiras.
- Evitar acumular entulho.
- Evitar usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda.
- Mantenha lixeiras tampadas e solicite que sejam efetuados furos na parte inferior.
- Efetue a limpeza regular de calhas e lajes.
- Mantenha as caixas d’água e reservatórios bem fechados e com telas mosquiteiro.
- Solicite a remoção de plantas como bromélias ou efetue a limpeza semanal destas.
- Solicite a inserção de telas mosquiteiro em ralos, caixas de passagem ou cimentada e mantenha-as fechadas.
- Solicite a aplicação de larvicida em locais com água parada em ambiente fechado.
- Lave bem, esfregando com escova, as paredes dos potes de comida e de água dos animais, no mínimo uma vez por semana.
- Dê descarga no mínimo uma vez por semana, em vasos sanitários pouco usados e mantenha a tampa sempre fechada.
- Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana.

Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, febre zika, chikungunya e da febre amarela urbana. Ele é preto com listras brancas e no dorso possui listas curvadas em formato de lira, possui voo baixo (máximo 2 metros) e possui maior atividade nos períodos de inicio da manhã e fim da tarde.

A fêmea, por necessitar de sangue para a viabilidade dos ovos, diferentemente dos machos, picam o homem. Cada fêmea pode depositar mais de 100 ovos por vez.

Devido às paredes rugosas serem mais adequadas para a fixação dos ovos, o mosquito prefere estruturas artificiais para efetuar a oviposição, tais como recipientes plásticos (garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos de vasos de plantas), vidros, latas e resíduos em geral que possam armazenar água parada. Entre 5 e 15 dias as larvas se desenvolvem em mosquitos adultos, o que mostra a importância do combate aos focos.

Para mais informações:

http://gestaoambiental.ufsc.br/

www.evitedengue.ufsc.br

evitedengue@contato.ufsc.br

Tel: 3721-4202 - Gestão Ambiental UFSC

Endereço: Rua Delfino Conti, s/nº , Campus Universitário, Bairro Trindade
Florianópolis/SC - CEP 88040-370 - Tel: (48)3331-7400. contato@fapeu.org.br
AC Cidade Universitária, Caixa Postal 5153, Bairro Trindade, Florianópolis/SC, CEP 88040-970
CNPJ: 83.476.911/0001-17 - Inscrição Estadual: ISENTO - Inscrição Municipal: 61.274-0
Copyright© FAPEU - Todos os Direitos Reservados